«

»

jul 20 2017

Imprimir Post

Associado do YCI na Transat Jacques Vabre

A edição 2017 da Transat Jacques Vabre terá, pela segunda vez consecutiva, um barco brasileiro na linha de largada. A dupla formada pelo médico angolano radicado em São Paulo (SP) José Guilherme Caldas e pelo baiano Leonardo Chicourel competirá a bordo do Mussulo 40 Team Angola Cables na maior regata transatlântica da mundo. Em 2015, o campeão olímpico Eduardo Penido participou do evento ao lado de Renato Araújo também em veleiro da Classe 40.

O destino da prova de 4.350 milhas náuticas – 8.056 quilômetros será Salvador (BA), depois de parar por duas vezes consecutivas em Itajaí (SC). A Transat Jacques Vabre larga de Le Havre, na Normandia, no dia 5 de novembro, com a participação de 42 duplas de quatro classes diferentes.

”Estou muito feliz com o convite do José Guilherme para fazer parte de mais esse projeto em duplas. Teremos muito trabalho pela frente a partir de agora, que inclui toda a preparação e o transporte do barco até a Europa. Eu sempre acompanhei a chegada dos barcos quando a regata parou por lá. Será um prazer grande chegar na minha cidade e certamente seremos bem recebidos com muita festa, música e caipirinha em Salvador”, disse o velejador profissional Leonardo Chicourel.

O Mussulo 40 Team Angola Cables foi o destaque da Cape Town Rio, regata disputada no início do ano no Atlântico Sul. O comandante José Guilherme Caldas decidiu inscrever o Mussulo 40 Team Angola Cables na última hora. O velejador anunciou a campanha durante a Semana de Vela de Ilhabela.

”Nosso objetivo é fazer entre 19 e 21 dias o percurso de Le Havre e Salvador. Eu já fiz em solitário parte dessa rota e posso dizer que será um grande desafio. São dois pontos cruciais: a largada com muito vento no Canal da Mancha e na Baía de Biscaía, e na passagem pelas áreas de calmaria entre os hemisférios”, disse José Guilherme Caldas. ”Eu tenho uma vontade de fazer regatas em duplas, que são bem cansativas. Fizemos agora a Cape Town Rio. É preciso um certo preparo e uma excelente afinação com seu companheiro de equipe. Eu e o Leonardo temos essa afinidade”.

Veja a lista completa dos inscritos de 2017

Edição 2017: 42 duplas na disputa

De dois em dois anos, velejadores das mais variadas nacionalidades se reúnem para a Transat Jacques Vabre, tradicional regata em duplas que larga da cidade francesa de Le Havre (França) desde 1993. Para a 13ª edição, não será diferente. São 42 duplas inscritas na disputa da mais longa travessia transatlântica até o Brasil. É uma prova que mistura história e desafio tendo como pano de fundo a movimentação comercial entre a Europa e as Américas na Rota do Café.

Saiba mais sobre as classes

Sobre Salvador na regata

A cidade recebeu a competição de 2001 a 2007 (a cada dois anos) e, ao lado de Itajaí (SC), são as únicas duas cidades brasileiras a serem porto de chegada da travessia. A largada oficial para a 13ª edição será dada no dia 5 de novembro, em Le Havre, e a previsão é de que os primeiros veleiros cheguem a Salvador no fim do mesmo mês.

“Esse percurso transatlântico que liga o Norte ao Sul [França e o Brasil] é mais exigente que uma simples travessia de Leste a Oeste. Requer dos velejadores qualidade técnica, planejamento estratégico, um bom conhecimento meteorológico e uma excelente condição física para completar o percurso”, explica Sylvie Viant, diretora de prova da Transat Jacques Vabre. Na última edição, 42 barcos participaram da disputa.

Relação íntima com o Brasil

Embora o Brasil tenha um currículo vitorioso em Olimpíadas, a Transat Jacques Vabre é uma das poucas competições em que o país fez história na vela de oceano. Em 2005, Walter Antunes foi o primeiro brasileiro a fazer o mesmo trajeto entre Le Havre e Salvador. Já em 2015, o campeão olímpico Edu Penido e Renato Araújo formaram a primeira equipe verde-amarela em 24 anos de regata.

Se o número de participantes brasileiros ainda é baixo, por outro lado o Brasil é o país que mais vezes recebeu o evento, seguido justamente pela Colômbia. Com uma edição a cada dois anos, Salvador foi a cidade de chegada entre os anos de 2001 e 2007. Já em 2013 e 2015, foi a cidade catarinense de Itajaí a segunda representante brasileira.

Sobre a regata

A regata, que é disputada em duplas, larga sempre da cidade portuária de Le Havre, na Normandia, com destino a um país produtor de café, característica que lhe rendeu o apelido de “Rota do Café”. Em 2013, a regata reuniu mais de 590 mil visitantes nas duas Vilas da Regata (Le Havre e Itajaí).

Participam quatro classes de veleiros: Class40, Multi50, IMOCA e Ultime, com 40, 50, 60 e até 100 pés respectivamente. A travessia ligando a Europa à América é disputada com apenas dois velejadores a bordo, que se revezam no comando da embarcação.

Mais informações no site www.transat-jacques-vabre.com/br
Facebook: https://www.facebook.com/Transat.Jacques.Vabre
Twitter: https://twitter.com/TransatJV_br

Contatos:
Flávio Perez e Raquel Cruz
flavio@onboardsports.net
Tel: +5511999498035
www.onboardsports.com.br

Link permanente para este artigo: http://www.yci.com.br/associado-do-yci-na-transat-jacques-vabre/